canoa de tolda do baixo São Francisco

Simplificando  ainda mais o PP 135, estou estudando a idéia de bolinas laterais. Comum em barcos holandeses do século XIX, e presente, por exemplo, nas canoas de tolda do rio São Francisco. Bolinas laterais tem duas grandes vantagens: maior profundidade da bolina que fica a sotavento, portanto mais eficiente, e a ausência de caixa de bolina na cabine (espaço mais bem aproveitado na cabine, e mais segurança, pois o rasgo da bolina enfraquece o casco).

Desvantagens existem, a maior delas é a interferência entre os fluxos de água que passam pela bolina e pela linha d´água. Entretanto, o aumento de resistência é mínimo para um veleiro pequeno de cruzeiro. Outra desvantagem seria o trabalho de fazer duas bolinas, entretanto, acho que ainda é mais fácil fazer duas bolinas do que construir uma caixa de bolina segura, com cabos para levantar a bolina passando por dentro da cabine.

Abaixo coloquei uma foto de um veleiro projetado por Jim Michalak, com uma versão modernizada da bolina lateral.

bolina basculante lateral

O projeto da bolina lateral estará disponível para quem adquiriu o projeto do PP 135, e espero poder construi-la para testar no protótipo. Se você acha interessante esta idéia, comente!