Construindo seu primeiro veleiro

Uma das dúvidas mais comuns de quem está pensando em construir seu primeiro barco é como angariar recursos técnicos e materiais, mesmo quando não se tem intimidade com o mundo náutico, já que muitos construtores iniciantes são navegantes de primeira viagem.

O mundo náutico é muito tradicional, conhecimentos de navegação e construção são passados de pai para filho, num vocabulário bem específico, pouco permeável a curiosos. Assim, ao construtor de primeira viagem pode parecer muito difícil fazer parte desta seleta confraria. Mas construir um barco não tem mistério. O objetivo deste artigo é esclarecer algumas idéias sobre materiais e sobre a dificuldade de constuir um barco:

  1. Onde encontrar o material: a maioria dos barcos de madeira de pequeno porte exige compensado naval  e resina epóxi. O compensado é relativamente fácil de encontrar, a resina epóxi nem tanto. Mas os fabricantes despacham para todo o território nacional.
  2. É difícil fazer mastros e velas? Nem tanto, tudo depende do projeto, e do construtor. Velas caranguejas são, apesar de mais complexas, mais fáceis de armar sem necessidade de perfis especiais de alumínio. Assim, são mais próprias para aramções de baixo custo, feitas em casa. A armação tipo junco chinês é, apesar da aparente complexidade,  a mais fácil de fazer em casa, e a mais barata, e resulta num conjunto de velas que tem excelente desempenho na orça e também em ventos de popa, dispensando spinnakers e bujas. O sistema é muito simples de armar, e requer apenas comandar a escota. Nada de catracas, runners, etc.
  3. Legalizar um barco não é tão complexo. Você vai precisar da assinatura de um engenheiro, mas muitos deles avalisam barcos construídos em casa e em estaleiros artesanais por toda a costa brasileira. O procedimento é conhecido e generalizado. Vá até a capitania dos portos mais próxima para saber o que eles exigem de documentação. Barcos de recreio sem motor, para uso em águas interiores, de menos de 5m de comprimento total, dispensam registro.
  4. As habilidades exigidas de um construtor artesanal variam com a complexidade do projeto. O método “stitch-and-glue”, literalmente, costure-e-cole, é o mais simples e rápido, e se o casco for corretamente projetado, oferece a melhor relação custo-benefício, e o menor tempo de construção, para barcos pequenos. Seja realista na hora de escolher um projeto. Cuidado vale mais que habilidade. Siga as instruções do projetista e do fabricante de resina à risca, não faça nada com pressa, escolha o material com cuidado, e entre em contato com o projetista sempre que surgir alguma dúvida.

Construa seu primeiro veleiro sem medo. Vale a pena, e não é difícil nem caro. Mas exige dedicação, paciência e trabalho. A recompensa, entretanto, não tem preço.

post similares
  • GP 28 – galeria de fo... A construção do GP 28 está avançada. O casco está quase fechado. As últimas semanas foram de muito trabalho e muita emoção.  Toni e Ricardo estiveram aqui por uma semana, participando da construção e fazendo imagens para o filme da DGT. As fotos abaixo mostram de maneira sucinta tudo o que foi feito até agora, [...]
  • Começa a construção do GP-2... Recentemente escrevi um artigo no meu blog sobre o GP-28, uma lancha de uso geral para navegação em mar aberto. O projeto tem despertado algum interesse, e recentemente, Ricardo Lancelotti (do Estaleiro Oficina), entrou em contato comigo porque um amigo seu, Toni, queria construir um. Uma de suas dúvidas era sobre quem seria capaz de [...]
  • Curso de Construção de Barc... O curso de construção de barcos em stitch-and-glue chega ao Rio de Janeiro. Dos  dias 28 a 30 de julho teremos um curso em Niterói, e com novidades. Embora o programa seja similar ao dos outros cursos realizados, neste vamos construir um barco diferente, e os participantes receberão uma cópia do projeto! Um barco novo, [...]
  • Pequeno Príncipe 135 –... Uma das dúvidas de quem quer construir um veleiro é sobre mastros e ferragens. Uma “regra” divulgada sobre a construção artesanal é que as ferragens são metade do custo do barco. Isso seria verdade no caso de um veleiro convencional com mastro de alumínio de seção especial para mastros, com o trilho da vela, e [...]
  • Veleiro clássico: Projeto 8... Quem acompanha o site sabe que publiquei a alguns meses artigos sobre um projeto de veleiro inspirado nos clássicos dos anos 40,50, que deveria ser um barco pequeno, relativamente barato, veloz e marinheiro. Bom, por sugestão de algumas pessoas que entraram em contato comigo, resolvi colocar um teto no custo total do barco, e estabelecer [...]

6 Comentários

  1. fevereiro 23, 2012    

    Parabéns amigo, pelo seu site. Muito bacana, concordo com vc quanto as mastreações carangueja. Estou fazendo um Catamaram Wharram que é uma variação da carangueja, chama Soft Wing Sail.

    Veja a materia. http://tikirio.blogspot.com/2011/03/wingsails-o-conceito.html

    Abçs.

    P.S.: Estou precisando de Eng Naval…se puder ajudar.

    • gdyd gdyd
      fevereiro 25, 2012    

      Esta vela é uma modernização da carangueja sem retranca comum em barcos de pesca e carga do século XVIII e XIX. Mas tem inovações derivadas dos estudos aerodinâmicos que só ocorreram no século XX. Basicamente, ao aumentar a altura do mastro se aumenta a eficiência da vela, reduzindo o arrasto aumentando a sustentação na vela. Como as asas de avião, são mais eficientes quando a envergadura é maior e o comprimento do perfil menor, para uma mesma área alar. Vou acompanhar seu blog. Enviei para seu email o contato de um engenheiro.

  2. António Carvalho António Carvalho
    outubro 17, 2012    

    Gostei muito do texto do post. É tal e qual como diz. Palavras sábias. Há sensações sem preço… e a de um “projecto naval” acabado é uma delas.

    Obrigado

  3. Otavio Gomes Otavio Gomes
    novembro 14, 2012    

    Boa noite,
    Amigo , como legalizar uma embarcação artesanal….

    Obrigado

  4. adolfo santana [tio san] adolfo santana [tio san]
    outubro 11, 2016    

    muito bem explicado e animador!!!
    vou construir um veleiro pra navegar em aguas doce ,
    só pelo prazer de navegar,e eu mesmo construir,
    estou estudando bastante ,sei q vou ter algumas dificuldades ,
    mas faz parte .
    ja consigo visualisar meu barco!!
    abços!!
    tio san

    • gdyd gdyd
      outubro 11, 2016    

      Adolfo, obrigado pelo comentário! Construir um barco não é difícil, e com o projeto adequado, você pode realizar seu sonho com certeza. Conte comigo para o que precisar!
      Abraços e bons ventos!

Deixe uma resposta