Trawlers e motorsailers são bastante comuns fora do Brasil. Entretanto, aqui, quase ninguém sabe o que estas palavras significam. Trawlers são barcos derivados dos pesqueiros de arrasto, nasceram da conversão de barcos de pesca em barcos de passeio, e a moda pegou, afinal, para quem não podia comprar um iate e também não queria um veleiro, comprar um barco de pesca parecia um bom negócio.

Hoje o termo se refere a barcos a motor com cascos de deslocamento (mais ou menos), generosas acomodações para seu tamanho, grande autonomia e de preferência marinheiros, capazes de travessias ou ao menos navegação costeira de longa distância.

Motorsailers, por outro lado, nasceram do interesse de oferecer uma combinação das vantagens de barcos que aparentemente não tem muito em comum. Possuem um plano vélico mais baixo e menor do que um veleiro, e motor capaz de manter o barco navegando sem ajuda das velas. Com ventos favoráveis, podem navegar exclusivamente a vela ou com o motor em baixa carga. Com ventos fortes ou contrários, utilizam somente motor. A idéia é ter as velas como auxiliares para reduzir consumo e aumentar a autonomia, e são uma alternativa para velejadores mais velhos, que querem um barco grande sem as fainas de convés associadas a grandes planos vélicos.

Ambos tem cascos com desenho similar, cabines altas, pé direito generoso, e com um casco de deslocamento puro podem manter velocidades de casco com pouca necessidade de potência. Um barco de 36 pés e 10 toneladas precisaria de cerca de 20hp para manter 7 nós.Com  um diesel de 45 hp ele navegaria com o motor a menos de meia carga, com sobra de potência para enfrentar tempo ruim e ventos contrários. Além disso, o consumo estaria abaixo de 5l/h. Um tanque de 500l manteria o motor funcionando por 100h, compare com um motor de uma lancha do mesmo tamanho e podemos ver a diferença no conceito.

Com a técnica de Stitch-and-glue descrita no artigo que publiquei recentemente é possível construir trawlers e motorsailers de 28 a 40 pés, que são uma faixa de tamanho ideal para barcos live-aboard capazes de acomodar de 2 a 6 pessoas e fáceis de construir.

Além disso, é possível adaptar este conceito para barcos menores e muito mais baratos. Com 22 pés é possível ter um barco econômico e confortável para passeios, e que não precisaria mais do que um motor diesel de 12hp para atingir velocidade de deslocamento, com folga. O custo de construção de um barco como este poderia estar na faixa de 15 mil reais com motor (se for um estacionário monocilíndrico). Bom, fica a idéia, se alguém tiver interesse…