Vamos supor que você esteja pensando em velejar, e você tenha a brilhante ideia de construir seu próprio veleiro. Parece tentador: você escolhe o projeto que mais tem a ver com o que você pretende fazer, economiza uma boa grana, e se diverte, e no final tem um barco melhor do que um veleiro comprado, do qual você poderá se orgulhar como ninguém.

3, 4 anos depois, quase divorciado, tendo gasto mais do que num veleiro usado, imagine-se na dúvida entre vender um casco semi-pronto pelo preço do material, se tanto, ou arriscar o que sobrou do orçamento (e talvez do casamento) para terminar seu veleiro. Um cenário trágico, e não muito comum. Gente que constrói coisas em geral se casa com pessoas que também o fazem, ou ao menos gostam de quem faz. Se o projeto for escolhido com cuidado, e você foi criterioso na compra de materiais, orçamento e prazos serão razoavelmente respeitados. Entre o caso ideal e o cenário trágico, há uma infinidade de possibilidades. Em qual delas você se encaixará?

Se você nunca construiu nada, cuidado com suas ambições. Se nunca velejou, ou tem pouca experiência, e não tem experiência com madeira, compensado, fibra de vidro e resina epóxi, não se lance na construção de um catamaran de 35 pés.  Também é ilusória a ideia de que um barco construído é mais barato que um comprado. Um veleiro usado, em especial se for de madeira, pode ser muito barato. Por 30 mil você compra um veleiro de 22 pés de fibra, pronto para velejar, ou até um veleiro de madeira de 30 pés com alguns reparos para fazer. Agora não se cosntrói um 22 pés de madeira por menos que isso a não ser que você costure suas próprias velas e consiga peças (catracas, mastros) de um veleiro que foi a pique.

Uma sugestão é construir um barco pequeno, para você  praticar, que pode ser construído em um prazo de 6 a 12 meses, e depois pensar num barco grande. É importante separar a vontade de construir um barco da vontade de velejar. Como assim? Bom, construir barcos é para quem gosta de construir barcos. Velejar é para quem gosta de velejar. Se você tem vontade de velejar e tem pressa, compre um veleiro.

Construir um veleiro pequeno é bom para praticar e para saber se você realmente tem sangue de construtor, e se você quiser, eventualente desistir, o prejuízo é bem menor.

Não quero desanimá-los, mas é que conheço muitas histórias de veleiros que ficam apenas no esqueleto, e apodecem no seco sem nunca ter tocado o mar.

Pense num projeto na faixa de 16 a 19 pés, que pode ser construído em pouco tempo e permite velejadas boas para aprender. Construir é bom para treinar um velejador de cruzeiro porque quem constrói sabe como funciona e sabe consertar e refazer se necessário, uma habilidade fundamental quando se está longe de marinas.

O hobbie é bom para exercitar as habilidades de velejador, mas um pequeno cruzeirinho vai treinar você para as durezas do cruzeiro de longa distância: baixas velocidades, longos períodos embarcado, cozinhar e dormir a bordo, tomar banho de chuveirinho no cockpit, usar um banheiro químico com o barco adernado, conseguir ficar a dois num espaço de 8 metros quadrados por várias horas sem brigar… Depois a idéia de um veleiro grande pode ser encarada com sobriedade e realismo.